1 de dez de 2010

Socialização secundária.



Eu aprendi sobre isso nas aulas de sociologia desse ano... 
Sabem, todos nós passamos pela socialização primária, que é quando nascemos e passamos a conviver com nossos pais e o resto de nossos familiares. Aprendemos com eles o que é certo ou errado, e aprendemos a ver o mundo do jeito que lhes é visto. Passamos a ter uma visão da vida, que nos foi ensinada por eles e até um certo ponto tudo parece fácil. Até entrarmos na escola. 
Bom, não exatamente quando somos crianças, porque quando ainda somos pequenos nosso senso crítico não é aflorado e ainda somos do jeitinho que nossos pais nos criaram, não temos muitos problemas quando somos crianças e portanto, toda a bagunça vem quando viramos adolescentes. Sim, tudo vira do avesso quando entramos na pré-adolescência, que é quando começamos a conviver realmente com pessoas diferentes de nós, que pensam diferente de nós, que tem uma visão de mundo (ainda não formada completamente) diferente, gostam de coisas que nós não gostamos, ouvem músicas que não ouvimos... Mas também tem aquelas pessoas que são incrivelmente parecidas com a gente, e com o passar do tempo, são essas pessoas que chamamos de amigos. 
Mas nem tudo é um mar de rosas, só porque nossos amigos são parecidos conosco, não quer dizer que eles sejam a gente. Eles pensam de um jeito diferente, e veem o mundo de um jeito diferente também, possuem sentimentos diferentes, que antes nós não conhecíamos, e por convivermos sempre com essas pessoas as vezes entramos em conflito. 
Brigamos, discutimos, ficamos sem  nos falar. E tudo isso por que? Porque o que é certo para um não é o certo para o outro, o que faz parte da vida e do jeito de ser de um, não faz parte do outro e assim são geradas as desavenças. 
Nestes últimos dias eu fiz um post que não agradou a uma amiga, nós brigamos por isso mas acho que ela entendeu que só fiz aquilo porque eu não tinha coragem de falar com ela. Por medo. Nossa socialização primária foi diferente e por isso somos pessoas diferentes, o que não nos impede de sermos amigas, mas... mesmo assim, somos diferentes e entramos em conflito nesses últimos dias. Só quero que você saiba, amiga, que não fiz por mal, você sabe que eu tento ajudar. Nem sempre é o certo mas nem tudo o que fazemos na vida, por mais que as intenções sejam boas, são as coisas certas. Então me desculpe, e queria que soubesse que dessa vez, tive mais um aprendizado adquirido, que provavelmente levarei para a minha vida toda. 


Um comentário: